Pesquisar neste blog

Carregando...

segunda-feira, 17 de março de 2014

Ambiguidade – comer o papel ou o biscoito?

ambiguidade

Sobremesa deliciosa para uma revisora, embora eu não tenha comido nem o papel, nem o biscoito, nem a embalagem.

Veja só a instrução: Quebre o biscoito e retire o papel com sua sorte antes de ingeri-lo.

O "lo" remete a algum elemento masculino dito antes; neste caso, pode ser o biscoito ou o papel. Retire o papel com sua sorte antes de ingerir o papel. Retire o papel antes de ingerir o biscoito. Retire um do outro antes de ingerir qual deles mesmo? Dá azar não comer o papel com sua sorte? Ingerir o papel aumenta a sorte ou a indigestão?

Ambiguidade, ou a possibilidade de um trecho ter mais de um significado possível, deixando o leitor em dúvida, deve ser evitada, até quando o contexto parecer resolver o problema. A não ser que o objetivo seja mesmo deixar a dúvida...

Fato é que, no caso do biscoito da sorte, a frase precisa ser reescrita. Sugestões?

quarta-feira, 5 de março de 2014

Acentuação – por e pôr

verbo pôr e preposição por acento

É instintivo pôr — e não "por" — a mão no vidro quando ele é o único empecilho para alcançar doces árabes divinos. Parece coisa de criança, mas esse recado aí é dado aos adultos.

O acento circunflexo do verbo "pôr" não foi derrubado na última reforma ortográfica. Ele marca a diferença desse verbo e da preposição "por". Só na pronúncia é tudo igual. Veja como fica na escrita:

Verbo "pôr":
É proibido pôr a mão no vidro.
A atendente vai pôr os doces na bandeja para servir.

Preposição "por":
O carro foi por ali.
Por onde você andou?
A embalagem foi feita por ele.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Parênteses e espaço

espaço depois de parêntese

Para mim, erro inédito em placas de sinalização. Tem um espaço intrometido ali, logo após abrir o parêntese.

(parênteses têm que estar grudadinhos, antes e depois do texto que abraçam)
(sem espaço, assim)
(bom, não?)


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Ortografia — "tickt"

ortografia tíquete ticket tickt

Fernanda Venancio, do blog Artigo e Definido, não deixou escapar uma das inúmeras variações da palavra tíquete, que veio do inglês ticket.

Em português, tíquete. No Brasil, vemos tíquete e ticket. O Houaiss registra:

Vamos ficar só com essas duas, ok? 

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Ortografia – "marmiteco" e marmitex

Marmitex escrito errado: marmiteco
A foto é contribuição do meu pai ao blog (será que o vício é contagioso?). Ele esteve no interior de Minas e me trouxe de lembrança uma palavra bonitinha: marmiteco. Gostei. Relendo, parece que tem acento agudo: marmitéco. Faz sentido, até.

Parece-me que quem escreveu marmiteco queria mesmo a forma "marmitex", mas não sabia como reproduzir o som da letra xis nesse caso (/ks/) e o mais próximo foi a sílaba "co" (com o mesmo som de k).

Houaiss e Volp registram marmita e afins (marmiteiro, marmitaria, quentinha). A forma "marmitex", muito famosa e difundida, ainda não foi elevada a vocábulo registrado pelas equipes que mantêm essas duas importantíssimas obras. No entanto, marmitex, palavra feminina que vale para singular e plural, está no iDicionário Aulete, que reproduzo aqui:
Definição de marmitex no Aulete
http://aulete.uol.com.br/marmitex

Tenho ressalvas ao iDicionário Aulete, mas não deixo de consultá-lo.

Mas... há mais dois probleminhas de ortografia nessa foto. Quais são?


terça-feira, 23 de julho de 2013

Crase – Fígado "à cebolado"

Acebolado escrito errado
O problema aqui deve ter ocorrido por influência de outras formas parecidas. Temos bife a cavalo, à milanesa, à parmegiana etc. Dá bem para entender o que a pessoa pensou: "a palavra cebola não tem 'a' na frente, então acebolado deve ser com aquele 'à' antes". Para mim, faz sentido.

As palavras podem receber prefixo (a-) e sufixo (-ado): acebolado. Com cebola, temperado com cebola. Nada mal, para quem gosta de fígado. Eu gosto dele acebolado ou cru com sal e limão.

Hmmm... fome.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Vírus ainda precisam melhorar mais o texto

Viral com erros no texto
Vírus não respeita nada... nem a ordem de publicação das fotos que estão aqui à espera de um textinho para serem publicadas.

Engripei e passei essa imagem na frente.

O texto é o seguinte:
"A partir do dia 05/05/2012, a Via Fácil realmente iniciou a aplicação de multas. Todo motorista que passar a mais de 40 km/h receberá uma multa por excesso de velocidade. Segundo a STP (empresa administradora), a multa do Sem Parar é gerada pela Polícia Rodoviária.
[aí descamba um pouquinho]
você foi multado veja abaixo copia da multa."

O primeiro parágrafo está bem legalzinho, não tem erros de ortografia, a concordância está ok, pontuação certinha e até a unidade de velocidade está correta: km/h. Vai pegar muitos incautos. Mas olha só a construção do texto:
- "A partir do dia 5, a Via Fácil iniciou" – como assim?? Duas alternativas: desde o dia 5 iniciou, ou a partir do dia 5 iniciará. Sutil demais para um vírus.
- "a Via Fácil realmente iniciou" – hmmm... é para eu realmente acreditar nesse papo, porque a empresa não é convincente?
- "STP (empresa administradora)" – ah, o que dizer? Quem faz vírus e cuida do texto precisa explicar nos parênteses o que significa a sigla que vem antes, né? Básico... Vai pesquisar.
- A Via Fácil iniciou a aplicação de multas, mas a multa do Sem Parar é gerada pela Polícia Rodoviária, mas é o Sem Parar (versão logotipo distorcido) que vai me mandar a multa por e-mail, com um link para download? tá...
- e assim vai...
(Alguém quer se divertir destrinchar mais isso nos comentários?)

O primeiro parágrafo visualmente manda bem, melhor que o segundo, que parece ter sido escrito por outra pessoa. Mas, ao pensar na construção do texto e na coerência das informações, fica claro que o texto não saiu de uma empresa que preza a própria imagem — principalmente por esse logotipo distorcido.

Atchim!

(E se você receber esse mesmo e-mail com texto melhorado, corrigido com base no que foi apontado aqui, ainda assim vá pesquisar antes de sair clicando nos links, preocupado com multas de trânsito. Elas chegam só pelo correio, até onde sei.)

terça-feira, 9 de julho de 2013

Acentuação — "Residêncial"

Foto tirada em Florianópolis/SC. Quem disse que revisor desliga totalmente da profissão quando passeia?

A palavra residência tem acento circunflexo, mas residencial não tem.

Outro caso muito comum de confusão assim é com a palavra emergência. Não confunda: emergência e emergencial.

Evite que a acentuação de uma palavra (nesses casos, paroxítona terminada em ditongo) vá parar na outra (oxítona).

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Um caso de revisão?

Publico essa foto com a mesma intenção da foto do post Carneiro ou bode?, para alertar que a revisão é sempre bem-vinda nos textos, nos conteúdos produzidos e até nos produtos fabricados em série. Como um rolo de rótulos, produzido em série, fica com um de ponta-cabeça? Ou será que foi um lote inteiro assim?