Pesquisar neste blog

domingo, 7 de setembro de 2008

Recado curto que precisa ocupar bastante espaço



Muita coisa estranha, né? Vamos por partes.

Faltou vírgula depois de "Sr. Usuário". Do jeito que está parece título. Faltou espaço em "Apartir" (quando não é a crase errada é o espaço). A data está escrita de forma incorreta para a norma culta: o primeiro dia do mês é sempre 1° (não 1 ou 01) e o mês é escrito com letra minúscula. Vírgula correta depois de 2004. Por que "sanitários" com maiúscula?

O ponto final depois de "serão" é o auge do comunicado. Como é possível terminar uma frase logo aí? Para o autor o ponto final não é o fim da frase, vai entender. A continuação está em destaque logo abaixo, como se fosse uma outra frase, aparentemente independente da anterior e da seguinte.

Chega. A coesão é malfeita ou está completamente em falta para um texto que se possa chamar de texto. Para seu objetivo, que é comunicar, é possível dizer que é inteligível. Eu entendi e você também. Mas que isso não sirva de desculpa para sairmos por aí escrevendo de qualquer jeito.

Incorporação por corporação e outros erros


"Trabalho em uma grande incorporação..."

Creio que ele trabalhe em uma grande corporação. Deve ser uma confusão comum.

Se você clicar na imagem, verá que há muitos outros erros, como falta de espaço depois da pontuação e falta de crase, além de palavras erradas.

Quem enviou a imagem foi Flávio Batista.

Crase – "à vocês"



Se eu comesse chocolate, o da foto seria, talvez, um pouco menos saboroso por causa da crase errada em "a vocês".

"Você" não é uma palavra que tem um artigo definido feminino ("a"). Nem é uma palavra que varia entre masculino e feminino (*o você e *a você). Sendo assim, aquele "a" é só uma preposição. E uma preposição sozinha não faz crase.

Foto enviada por Daniel Martins.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Leve 2 e pague 3


Pague mais e leve menos.

Pequena confusão no título do e-mail. Felizmente, só no título.

Imagem enviada por Daniel Martins.

"Cujo eu" e muitos outros erros

Clique na imagem para ver o "cujo eu" em seu tamanho normal. A letra é pequena, mas o erro me causou grande espanto.

De acordo com o autor, quem "feiz" a ultrapassagem foi o condutor do Vectra e não o da caminhonete, "cujo ele" (para usar sua construção) estava dentro.

Vamos ao dicionário Houaiss: o pronome relativo cujo "relaciona dois substantivos, um antecedente e outro conseqüente, sendo este último possuidor de algo (qualidade, condição, sentimento, ser etc.) designado pelo primeiro". Exemplo: Este é o livo cuja capa foi premiada.

O pronome pessoal "eu" e não se encaixa no uso depois de "cujo", onde se espera um substantivo.

O cujo (ou dito-cujo), autor do texto e vítima do acidente, teria escrito acertadamente se tivesse escrito "em que" ("caminhonete em que eu estava").

domingo, 8 de junho de 2008

Apaga tudo!


Apaga tudo e reescreve, por favor. Sem aspas, sem exclamação, sem maiúscula no meio da frase (se realmente for uma frase só, como indicam as aspas e a ausência de pontuação no fim da primeira linha) e sem condensar tanto a mensagem.

Nada contra corretor de imóveis fazendo seu próprio anúncio, mas um publicitário é mais adequado para a tarefa. Vai fazer vender mais. Olha só no que deu essa frase no meio do anúncio, com uma praia ao fundo. A praia fica em plano invisível quando o leitor lê e relê a frase e se preocupa em tentar entender.

Revisor se metendo em publicidade e propaganda também não dá muito certo... o mesmo vale para outras profissões. Cada um na sua. Publicitário cria e revisor revisa.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Ortografia – "concerto" no contexto errado


Quem fotografou o erro foi o Daniel Martins. Erro um tanto quanto comum, mas que não tinha passado pela minha frente ainda.

Concerto e conserto sempre causam uma duvidazinha na hora de escrever. Fico feliz de ver mais acertos do que erros.

Bom, se a foto está aqui, é porque há erro. O que se quis dizer é "conserto" (com "s"), arrumar o que está errado ou dando problema. (Não vou comentar vírgulas e pontos, ok?)

Quem apenas decora que conserto é o de arrumar e concerto é o de orquestra – eu pensava mais ou menos assim também – tem um grande susto quando vai ao Houaiss e descobre que cada uma dessas palavras significa um monte de coisas. Veja o que achei (respire fundo):

Concerto (com "c") significa: pacto, acordo; reunião, conjunto; participação, auxílio; cotejo, comparação; consonância de vozes e/ou de sons; peça musical extensa; execução ou audição pública ou privada de obra(s) musical(is).

Conserto (com "s") significa: "restauração ou recomposição de coisa rasgada, descolada, partida, deteriorada etc."; "ato ou efeito de repor em atividade ou no andamento normal o que se achava desregulado, parado"; "reforma do que está malfeito, apresenta defeitos ou que precisa de modificação ou ajuste"; "ato ou efeito de repor na ordem ou na disposição costumeira"; "ordem, arranjo, regra"; "abrandamento ou anulação dos efeitos de uma ação que produziu resultados indesejáveis"; "equilíbrio harmônico"; "boa disposição"; "adereço, enfeite"; e, pasmem!, "cotejo, confronto, concerto (de cópia com o original)".

Espero que enriqueça seu vocabulário, assim como enriqueceu o meu.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Vários erros


Quem viu os erros no panfleto e me deu para colocar aqui no blog foi o Wesley Magalhães. São muitos erros. Deu vontade de colocar o panfleto inteiro, mas selecionei a parte mais problemática. (clique na foto para ampliar)

Vou listar, ok?

Na primeira linha: CD ´ s
O correto é CDs, sem apóstrofo e sem esses espaços.
Tirando os espaços, dois comentários. Primeiro: esse apóstrofo é um acento agudo, digitaram errado. Segundo: não se usa o apóstrofo ( ' ) na formação do plural de siglas. Em português, o apóstrofo indica a omissão de fonema/letra. Exemplo: copo de água = copo d'água.

No fim da primeira linha também falta algo para separá-lo do texto da segunda linha. Ou para fazer a ligação das duas linhas, se for possível.

As duas últimas linhas, embaixo do mapa, são incríveis: divirta-se com a concorância e com a coerência! Ah, achou os dois espaços duplos ali?

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Crase e espaço duplo


A crase nesse contexto já é aceita, mas não antes de palavra masculina!

Antes do sinal de adição há dois espaços, em vez de um. Isso grita aos olhos! Fica desproporcional e desarmônico, mas ninguém se preocupa. Incrível. (Claro que essa revolta não é somente por esse caso específico.)

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Concordância - "móveis infantil"


Aproveito o momento retrô para postar outra foto antiga, mas não me lembro de quando é.

O erro de concordância em "móveis infantil" lembra aquele clássico que vemos em alguns tipos de evento: "doces caseiro". Felizmente já tenho visto "doces caseiros", concordância perfeita. Espero ver "móveis infantis" também.

Ortografia - "bacalhal"


Essa foto é de 2005. Lembrei do erro e fui caçar a foto nos meus arquivos.

Bacalhau, não "bacalhal".

terça-feira, 8 de abril de 2008

Concordância - "óculos multifocal"


Óculos é um substantivo masculino plural, portanto, a concordância deve ser feita sempre no masculino plural: óculos escuros, óculos bonitos, meus óculos são novos.

Fiquei feliz com a grafia correta de "a partir de", sem crase.

Ortografia ("IBJE"), entre outros erros


Só vou comentar um erro de ortografia: o IBJE desse e-mail que recebi. Pronto, todo mundo já percebeu que o erro está no "J". O correto é IBGE. (clique na imagem para ver melhor o texto)

Considero grave porque não é uma confusão quando temos "g" e "j" com o mesmo som. A sigla é lida letra por letra, ela é soletrada. Grave isso, principalmente partindo de uma estudante do 5º semestre de uma faculdade.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Artigo importante e crase errada


Dois problemas no informativo da loja:

1- "Toda loja"
"Toda loja" é o mesmo que "cada loja". Não é o caso. O correto é "toda a loja", que significa "a loja inteira".

2- "De 19,99 à 179,99"
Preposição sem artigo na primeira parte ("de") e preposição com artigo na segunda parte ("da" = de + a). Tem algo descompensado aí. Para haver equilíbrio, a melhor solução é tirar o artigo da segunda parte. Ficamos com "de" e "a", só. Visualmente melhor e gramaticalmente correto. Perfeito seria se fossem colocadas as unidades de valor: De R$ 19,99 a R$ 179,99.

Crase antes de palavra masculina


O erro mostrado aqui foi informado e rapidamente consertado pela Folha.

Não existe crase antes de palavra masculina. Crase = preposição "a" + artigo definido feminino "a(s)".*

No máximo, no caso do título da matéria, teríamos "ao discurso", nunca "à discurso". Aquele "a" é só preposição, não existe artigo definido ali.

*Vale dizer: a crase aparece antes de palavra masculina quando uma palavra feminina está subentendida (omitida) na construção da frase, como em "sapato à Luís XV", que é "sapato à moda de Luís XV", e "vou à João Mendes", que é "vou à praça João Mendes". Particularmente, não considero esses casos como exceções, porque a crase segue a mesma formação de preposição "a" + artigo definido "a(s)".

segunda-feira, 24 de março de 2008

Mini- e míni


Na segunda linha do cardápio: "Pão de Queijo Mini".

Esse "mini" é o substantivo "míni", faltou o acento agudo. De acordo com o dicionário Houaiss, míni é a redução de "alguns substantivos precedidos do elemento antepositivo mini-" (o prefixo mini-).

Funciona assim: minissaia e saia míni; minidicionário e dicionário míni; minipão de queijo e pão de queijo míni.

Impossível deixar de notar: tem um ponto final perdido dentro dos parênteses ainda na segunda linha. Como ele foi parar ali?

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Símbolo g


O símbolo da unidade de medida de massa grama é “g”.

Somente “g”, com letra minúscula, junto ao número, sem espaço e sem mais letras depois disso. Portanto, é errado escrever “gr”, “gr.”, “grs” ou “grs.” (ainda mais com letra maiúscula, como na foto).

Só para reforçar, para singular e plural é “g”.
É símbolo, não abreviação.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Deve ter um nome... não me lembro ou não sei mesmo... rs


Cartaz colocado pela secretaria em um mural do prédio de Engenharia Elétrica na Unicamp:

"Atenção usuários das salas de aulas.

Pedimos a sua colaboração.

Não colocando avisos nas portas das salas."

Como pode? Como pode separar uma informação em frases? Como funciona. O pensamento de uma pessoa. Que não só separa. Em frases, mas vai além. A divisão é feita. Em parágrafos. 3!

Vou pesquisar para saber se isso tem um nome e é descrito por alguma gramática. Agora não me lembro. Incrível.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Crase de novo


A foto ficou meio embaçada, mas está legível:

"Melzinho de doce de leite
R$ 3,50 à fita ou
R$ 0,15 cada sachê!"

A crase de novo. Parece-me que metade do blog será sobre as variações de erros de crase.

Aquele azinho não é craseado porque não tem ali uma preposição e um artigo, tem só o artigo. Pronto, chega de falar disso.

Ah, foto tirada na loja de conveniência de um posto de combustível na volta de Campos do Jordão, se não me engano.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Crase


Parece que o aviso funciona, apesar do erro de crase. Há várias placas iguais a esta espalhadas por toda a extensão do muro... várias crases erradas.

A crase é a indicação de que há a preposição "a" mais o artigo definido "a(s)". "Entidades assistenciais" é plural, então, o artigo que acompanha tem de ser plural também: as entidades assistenciais. No entanto, não é o que vemos na placa. Lá só tem um "a". Preciso dizer que não tem artigo e aquele "a" é só preposição?

Bom, aqui vai: é só preposição... por isso não tem crase.

Mais uma, só para não restarem dúvidas: se substituirmos a preposição por "para", veremos que não sobra nada, nem um artigo ali ("Para entidades assistenciais"). Chega de provas. Não tem crase.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Ortografia - "meia noite"


Para continuar no mesmo ambiente da postagem anterior, o Mc da 9 de "Julhio", aqui vai outro erro: meia noite.

Meia noite é metade da noite. Meia-noite é a grafia correta para 0h.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Ortografia - "Julhio"


Olha só o endereço do estabelecimento... Julhio. O correto é Julho. (Apóstrofe errada em Leico's... e faltam vários acentos também, mas deve ser assim mesmo nesse programa que gera o cupom fiscal.)

Até que não demorei para publicar, a data da nota é de um mês atrás.

Crase


Valeu a intenção. Acertou na crase, mas grafou errado. Em vez do acento grave, foi colocado o acento agudo.

Mesmo assim, já é alguma coisa.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Vírgula


Vírgula. Não. Megavírgula!

Este painel é enorme e está voltado para uma das maiores avenidas de Jundiaí.
Vamos à vírgula. Ela divide sujeito e verbo. Não é um sujeitinho de uma palavra só, aqueles óbvios, mas é o sujeito.

Isso é ter estilo... o que faz diferença (= isso) é ter estilo. Sem vírgula.

Vem cá. Construção estranhíssima. Seria melhor dizer que ter estilo é o que faz a diferença. Só inverter a ordem, fica ótimo e não causa dúvida de vírgula. Enfim...

BOMBA! O site do shopping também está errado! O correto é www.paineirascenter.com.br.

Ortografia - "passaport"


Erro de ortografia ou confusão com o inglês? Vai saber...

Ah, pode ter sido o tamanho da placa. De todo jeito, faltou o "e" em "passaporte".

Curiosidade: esta placa está em uma papelaria dentro da Unicamp.

Crase


Mais um caso de crase em "a partir". O primeiro post do blog já abordou isso. Olha lá! ;)

Crase


"Ferro" é palavra masculina. O "a" que antecede é apenas preposição. Se houvesse um artigo, este seria masculino e formaria "ao", nunca "à".

sábado, 12 de janeiro de 2008

Concordância - "confusão engraçado"


A confusão é engraçada. Então, o filme trata de uma confusão explosivamente engraçada.

Concordância básica. Concorda comigo?

Prefixo mini- e hífen

Rapidinho: o prefixo mini- não se junta com hífen a nenhuma palavra (com nomes próprios o assunto é outro).

O correto é minibarcos, assim como minissaia, minicasa, minirroda.

domingo, 6 de janeiro de 2008

Acentuação

Comentário rápido: somente são acentuadas as oxítonas terminadas em "a(s)", "e(s)" e "o(s)".

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Artigo definido importante

Há uma diferença de significado enorme em "todo Estado" e "todo o Estado". Esse é um artigo que não pode ser omitido, nem em títulos de jornais.

"Todo Estado" é o mesmo que "cada Estado". Assim, o título passa a seguinte informação: o projeto Acessa São Paulo chega a cada Estado do país em 2010. Gera uma contradição aí, mas essa é a informação "gramaticalmente" passada.

"Todo o Estado" é o mesmo que "no Estado inteiro". Para passar a informação correta, de que o projeto chegará ao Estado inteiro até 2010, o título precisa ter o artigo definido antes da palavra "Estado".

E tinha espaço para o artigo ali. Que mania de cortar todos os artigos.

Vírgula entre verbo e objeto

Tão agressivo aos olhos quanto vírgula entre sujeito e verbo é a vírgula depois do verbo. Completamente sem motivo.

Causam estranhamento as maiúsculas em "Dias" e "Para". Sem motivo e sem padrão.

Pelo menos a concordância em "você tem" está certa.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Vírgula entre sujeito e verbo

Apesar da imagem desfocada, é possível ler na última linha: "Billy Paul, vai fazer você delirar (...)".

Uma vírgula separa o sujeito do verbo. Imperdoável, principalmente em material publicitário.

Crase

Caso clássico. Muito comum, infelizmente.

A crase só está presente quando temos o "a" preposição e o "a" (ou "as") artigo.

No caso da foto, "partir" é um verbo e, como tal, não é acompanhado de artigo. Assim, aquele "a" que o antecede é somente preposição. Impossível a crase, então.