Crase – "à fatia" e "a base de"


A foto foi enviada por Thales Fontanetti, professor de inglês, músico e amigo querido.

As "sobremesas deliciosas" não são da série "doces caseiro". Nesta, o problema é a concordância. Aqui o problema é a crase. O que há em comum? Todas essas delícias engordam.

O anúncio mandou bem ao grafar o valor da sobremesa (R$ 4,40, com espaço depois do cifrão), mas errou nas crases - sobrou uma e faltou outra.

A que sobrou: fácil, está bem no meio do anúncio, é a única. Sobrou porque esse "a" não significa "para a", mas sim "cada". Cada fatia está por apenas R$ 4,40. Invertendo a ordem: R$ 4,40 cada fatia.

A que faltou: a da torta holandesa, que é feita "à" base de manteiga, açúcar e creme de leite. Sempre "à base de".

Para engordar menos, prefiro agora uma fatia de fruta.

Comentários

Eunice disse…
Aaah tem graça, aqui em Portugal não é incomum ver €... "à fatia", "ao kg", "ao saco","à unidade", suponho que por analogia com "vende-se à fatia", etc...
Telma Iara disse…
Sério, Eunice?
Nisso o português do Brasil e o de Portugal são diferentes, então. Pelo menos na região onde moro (Sudeste) não é comum ver a preposição "a" nesses casos.
Muito interessante saber que aí é normal.
Me parece que para as locuções que em Portugal são expressas com 'ao' ou 'à', aqui no Brasil costuma-se usar 'por'. Por exemplo:

- Vende-se por quilo, por fatia, por saco, por unidade, etc.

Ao menos onde moro, a exceção é 'a granel'.

- Eles vendem feijão a granel.

Já na locução "a unidade", o 'a' é interpretado aqui no Brasil como 'cada'. Por exemplo.
- Eles vendem por unidade, e a unidade (= cada unidade) custa R$ 10,00.

Abraços!
Stanley Kubrick disse…
Obrigado pelo esclarecedor post. Muitas vezes preciso recorrer à (com crase e muita honra nesse caso) base de conhecimentos da língua portuguesa para esclarecer dúvidas sobre a crase, porque as regras de uso da crase nem sempre têm lógica.

Por exemplo, eu aprendi na escola, e a maioria dos professores ensina, uma regrinha simples para descobrir se vai crase: substituir o feminino pelo masculino e ver se o "a" se transforma em "ao". Assim, "deu um presente à filha" tem crase, porque seria "deu um presente ao filho". Mas se tentarmos fazer isso com "à vista", que sempre nos ensinaram que tem crase, como fica? "Ao prazo"?? Por que é que "à vista" tem crase, se a gente diz "a prazo", e não "ao prazo"??? Alguém me explique isso!!!!
A crase em "à vista" está aí apenas por um motivo de clareza. É uma locução adverbial, como "à mão" e "à distância", então aquele truque de substituir por uma palavra masculina não ajuda muito, já que não existe uma contração de preposição "a" com artigo feminino "a". É só uma preposição "a", por isso temos "a prazo" sem crase (não há espaço para confusão com "o prazo", já com "vendo a vista" e "vendo à vista" sim, podem ter sentidos diferentes).
Será que ajudei ou compliquei mais?
Stanley Kubrick disse…
Claro que ajudou, Telma, e obrigado pela atenção e pela resposta. Mas a crase é um assunto complexo e me parece que com ela não dá pra aplicar o adágio do Arnaldo "A regra é clara". Nos exemplos que você citou já vi algo controverso: há algum tempo pesquisei a expressão "a distância" para uma tradução que estava fazendo e cheguei à conclusão de que era sem crase (apesar de que, se substituirmos pelo masculino "longe", fica "ao longe"). Como já aceitei que alguns casos não seguem a lógica, ou à lógica, como preferir, escrevi tudo sem crase, e pelo visto errei...